FOTOS: Diego Peres/Secom

O governador Wilson Lima lançou, nesta terça-feira (19/05), na sede da Secretaria de Produção Rural (Sepror), o Edital de Chamamento Público para fomento à pesca ornamental, que entregará 125 kits de equipamentos para piabeiros do Alto Rio Negro. Na ocasião, o governador também reforçou a ação de apoio a produtores tradicionais de farinha em 29 municípios do interior, lançada no dia 14 de maio, em parceria com o Governo Federal. Os dois editais somam investimentos de mais de R$ 1,7 milhão.

“O setor primário é um dos setores fundamentais para a recuperação da nossa atividade econômica, principalmente nesse momento de pandemia e no pós-pandemia. Eu acabei de assinar um edital para a habilitação de entrega de kits para a pesca ornamental. São 125 kits que vão beneficiar trabalhadores do Alto Rio Negro, trabalhadores de Santa Isabel do Rio Negro, São Gabriel da Cachoeira e Barcelos. Ali nós temos uma atividade significativa nesse sentido, talvez a segunda atividade econômica mais importante daquela região, e o nosso objetivo é fortalecer quem está lá na ponta, fortalecer esse elo mais frágil”, disse o governador.

Segundo ele, o fomento do Governo do Estado é essencial para os trabalhadores da pesca ornamental e suas famílias manterem a renda neste momento sensível para a economia. “Esse é o braço forte do Estado, auxiliando essas pessoas. Muitas delas ficaram sem emprego, muitas delas não têm outra renda. O Estado, através dessa ação de fomento, está dando condições para que elas possam ter essa atividade restabelecida”, acrescentou Wilson Lima.

Potencial – Os materiais do edital voltado à pesca ornamental, que tem investimento de R$ 400 mil de fonte estadual, serão entregues para 10 associações do Alto Rio Negro. Cada kit contém itens como caixas plásticas, lanternas, bateria de 60 AMP, faca e facão, lona, mosquiteira, chapéu de palha, par de botas sete léguas e luvas.

“Todos aqueles municípios ali do Alto Rio Negro e do Médio Rio Negro têm um potencial para a pesca ornamental. Isso gera mais de 1.200 ocupações de pescadores que vivem dessa atividade de extração sustentável de peixes ornamentais, e muitos desses peixes são exportados. Essa atividade movimentou, em 2019, cerca de R$ 10 milhões”, frisou o secretário de Produção Rural, Petrucio Magalhães.

O titular da Sepror também destacou que o Governo do Estado tem fortalecido as ações junto ao setor primário. “O governo não parou durante a pandemia, toda a equipe do sistema Sepror está trabalhando, respeitando todas as medidas de segurança sanitária e de saúde”.

Produção de farinha – No dia 14 de maio, a Sepror também lançou um edital para a aquisição de equipamentos de apoio à produção tradicional de farinha de mandioca no Amazonas. A ação é financiada com recursos na ordem de R$ 1,3 milhão, repassados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) por meio de convênio. Ao todo, serão entregues 85 kits, incluindo itens como motor 5cv, balança mecânica, cevador, prensa manual, bomba d´água, tacho 58” e tacho 75”.

Os insumos vão beneficiar trabalhadores de 29 municípios, entre eles Manacapuru, Tefé e Manicoré, que juntos produzem 58 mil toneladas de farinha. Para o governador Wilson Lima, o apoio vai ajudar o homem do interior a produzir mais e com menos esforço, melhorando a qualidade do produto.

“Ali eles recebem todos os itens necessários para a montagem da casa de farinha, como balança para pesar, e isso vai ser importante porque evita e muito aquela figura do atravessador. O produtor que está fazendo a farinha, plantando a mandioca, vai ter condições de fazer essa entrega aferindo, por exemplo, o peso do produto que ele produziu, naturalmente, gerando uma renda para sua família e garantindo uma segurança para essas pessoas que dependem e muito do setor primário”, avaliou.