FOTOS: Maurílio Rodrigues / Secom

O governador do Amazonas, Wilson Lima, assinou, nesta terça-feira (14/01), um Protocolo de Intenções para parceria com o Hospital da Criança e Maternidade (HCM) de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, para a realização de cirurgias em crianças com cardiopatia congênita do Estado do Amazonas. O hospital é uma referência em cirurgias pediátricas no país.

“Nós estamos fazendo um processo de reformulação na área de saúde do Estado do Amazonas. Estamos aqui num hospital que é referência nacional e o que nós estamos buscando são instituições como essa. São modelos que deram certo e que tem resultados positivos, para que a gente possa também implantar esses sistemas no Estado do Amazonas”, afirmou o governador.

O Protocolo de Intenções assinado entre Governo do Amazonas e Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme), responsável pelo Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto, é para encaminhamento imediato das crianças amazonenses à unidade de saúde paulista.

“A partir da semana que vem a gente já envia duas crianças e aí a gente vai avaliando, porque há um protocolo de questões que precisam ser atendidas tanto em Manaus quanto aqui”, frisou o governador. Wilson Lima ressaltou que a intenção é realizar, em média, duas cirurgias por semana em São José do Rio Preto, sem que a rotina de procedimentos cirúrgicos do Hospital Francisca Mendes seja interrompida.

Acompanhado pelo secretário de saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias, e o médico cardiologista e diretor clínico do Hospital Francisca Mendes, Mariano Terrazas, o governador conheceu o serviço Nacional de Cardiologia Pediátrica e reuniu com a diretoria do hospital.

“Na prática já estamos conversando há pelo menos 20 dias, e a visita in loco serve para que a gente possa conhecer a estrutura onde as nossas crianças amazonenses vão ficar, junto com as suas mães, via Tratamento Fora de Domicílio”, afirmou o secretário de saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias.

A chefe da assistência social da Secretaria de Saúde do Amazonas, Maria Mazzarello, também visitou o hospital e a casa de apoio que vai abrigar os familiares das crianças.

Cirurgias – A realização de cirurgia cardíaca por Tratamento Fora de Domicílio (TFD), programa que custeia passagens e ajuda de custo para pacientes que realizam tratamento médico fora do Estado, é uma das medidas adotadas pelo Governo do Amazonas para reduzir o tempo de espera de crianças cardiopatas que aguardam por procedimento cirúrgico.

Após concluírem o processo de atualização de exames e avaliação médica, que está acontecendo desde a semana passada no Hospital Francisca Mendes, as primeiras crianças estarão aptas para viajar. Será respeitado o critério dos pacientes que estão há mais tempo na fila de espera por cirurgia e com melhores condições clínicas para a viagem. Foram selecionadas para avaliação e exames 20 crianças da fila de espera, que se enquadram nos critérios definidos.

“À medida que o Francisca Mendes aumentar sua capacidade operacional, isso provavelmente se fará desnecessário e vai ser tudo feito no Amazonas. A tendência é que o Francisca Mendes e o Estado respondam essa demanda da região toda”, observou Terrazas.

Sobre o HCM – Com uma estrutura de oito andares, além de térreo e subsolo, com capacidade instalada para 180 leitos, o Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto ocupa uma área de 18 mil metros quadrados e integra um dos maiores complexos hospitalares do Estado de São Paulo, que reúne, também, o Hospital de Base de Rio Preto, o Ambulatório de Especialidades, o Instituto do Câncer, o Hemocentro de Rio Preto e a unidade do Instituto de Reabilitação Lucy Montoro.

Assim como o Hospital de Base de Rio Preto, a Diretoria da Funfarme ressalta que o HCM é referência no Brasil em assistência, ensino e pesquisa. A unidade oferece atendimento humanizado e moderna tecnologia aos pacientes.

“Nós temos prestado esse serviço para vários estados no país e é satisfatório vermos o interesse, também, do Estado do Amazonas em resolver seu problema. Eu percebi a boa intenção do governador”, afirmou o diretor executivo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme) de São José do Rio Preto, Jorge Fares.

O Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto já tratou de mais de 4 mil crianças cardiopatas de todo o Brasil, incluindo estados da região Norte, como Tocantins e Rondônia.

“A nossa intenção hoje é, nesse primeiro momento, atender as crianças do Estado do Amazonas, ajudando a diminuir a fila e poder fazer essa parceria educacional e se a gente puder, de alguma forma, colaborar para que eles continuem se desenvolvendo é o que a gente está propondo. É importante saber que de cada 120 crianças que nascem, uma vai ter problema no coração. Então um serviço como o nosso, que opera 450 cirurgias ao ano, só vai existir se operar crianças de várias regiões”, frisou Ulisses Alexandre Croti, cirurgião cardiovascular pediátrico, chefe do serviço de cirurgia cardíaca e pediátrica da fundação.

Fundação internacional – O Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto tem uma parceria com a fundação Children’s HeartLink, especializada no tratamento de crianças com doenças cardíacas. A fundação treina equipes médicas locais nos países em que atua, possibilitando que as crianças sejam tratadas em seu próprio país.

Anualmente mais de 170 mil crianças são atendidas nas unidades especializadas em que a instituição atua. A Children’s HeartLink mantém parceria com 16 hospitais, sediados, além do Brasil, na China, Índia, Malásia e Vietnã.

Agenda – Nesta quarta-feira (15/01), Wilson Lima segue para a capital São Paulo, onde conhece o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP, unidade hospitalar de alta complexidade, especializada em cardiologia, pneumologia e cirurgias cardíacas e torácicas.