UBS que atendem síndromes respiratórias registram 4 mil atendimentos durante a pandemia

Assessoria PMP

A Prefeitura de Parintins, que no início da pandemia do coronavírus adotou estratégia para atendimento de sintomas respiratórios leves na unidades de saúde divididas dos bairros, atendeu quase 4 mil pessoas em dois meses. As UBS Mãe Palmira no Paulo Corrêa, Dr Toda na Francesa e UBS fluvial foram estrategicamente escolhidas para atender casos leves de síndromes respiratórias.

A UBS Mãe Palmira desde o dia 25 de março atendeu 1.523 pacientes. O Centro de Saúde Dr Toda recebeu 838 pessoas e por sua vez a UBS Fluvial Lígia Loyola, que está atendendo na rampa do Mercado Central, recebeu 1.518 pacientes da cidade e da zona rural. As diretoras Taiane Barbosa, Rayla Koga e Adna Batalha informaram que a Prefeitura de Parintins tem dado todo o suporte necessário para o melhor atendimento aos cidadãos que procuram as unidades.

Segundo o secretário de Saúde, Clerton Rodrigues, em caso de necessidade, a Central de Resgate do município é acionada para que o paciente possa ser levado ao hospital Jofre Cohen, unidade de referência para o coronavirus em Parintins.

“O gestor municipal acertou em realizar essa descentralização no atendimento destas pessoas. Com isso, conseguimos tratá-las em local seguro e sem abarrotar o hospital de referência. Queremos agradecer ainda aos nossos profissionais de saúde que estão realizando diariamente um ótimo trabalho na linha de frente da pandemia”, destacou.