Senador Antonio Anastasia - Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Líderes do Senado querem votar até a sexta-feira (20) o pedido feito pelo governo para decretar calamidade pública. A iniciativa foi aprovada na noite de quarta-feira (18) na Câmara dos Deputados.

“Acertamos que até as 11h de amanhã (20), com ou sem sistema remoto de votação, aprovaremos o Decreto de Calamidade Pública por entendimento ou contrasenha por telefone”, disse o líder do MDB, senador Eduardo Braga (AM).

O emedebista disse nas redes sociais ter tomado essa decisão junto com o presidente interino do Senado, Antonio Anastasia (PSD-MG), e o líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO).

Anastasia está no comando interino do Senado porque é o 1º vice-presidente e o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) está em quarentena após ter sido confirmado com coronavírus.

O texto, cujos efeitos valem até o dia 31 de dezembro de 2020, permite o governo descumprir a meta fiscal deste ano e ampliar o déficit previsto de R$ 124,1 bilhões. O estado de calamidade também abre caminho para que não haja contingenciamento daqui para frente, mas não desobriga o cumprimento da regra de ouro nem do teto de gastos. /// Congresso Em Foco