27.6 C
Parintins
quarta-feira, junho 23, 2021

Secretária do Ministério da Saúde deporá sem habeas corpus na CPI da Pandemia

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou habeas corpus preventivo para a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, que prestará depoimento na quinta-feira (20) à CPI da Pandemia. A decisão foi do ministro Ricardo Lewandowski.

A secretária havia requisitado o habeas corpus para ser autorizada a não responder a perguntas dos senadores, de modo a não produzir eventuais provas contra si. Mayra Pinheiro é apontada como promotora do “tratamento precoce” — uso de medicamentos sem eficácia comprovada — contra a covid-19 no âmbito do Ministério da Saúde. Ao contrário do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que obteve um habeas corpus do Supremo, a secretária não responde a nenhum inquérito.

Membro suplente da CPI, o senador Rogério Carvalho (PT-SE) registrou a decisão. “Que venha a oitiva na CPI”, escreveu ele em rede social.

Silêncio

Eduardo Pazuello, que depõe nesta quarta-feira (19), recebeu do STF um habeas corpus preventivo e poderá ficar em silêncio diante de questionamentos sobre suas próprias ações, mas deverá responder sobre fatos relacionados a terceiros. A liminar do STF, também do ministro Lewandowski, garante ainda que Pazuello não será preso na comissão.

ACESSE AQUI SENADO NOTÍCIAS

Especial Publicitário

As maiores koiotagens

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui