27.6 C
Parintins
quarta-feira, junho 23, 2021

Prefeitura de Manaus enfatiza ações de enfrentamento da maior cheia do rio Negro, desde 1902

O rio Negro atingiu na terça-feira, 1º/6, a marca de 29,98 metros, consagrando-se como a maior cheia em Manaus, nos últimos 119 anos, registro que ultrapassa a marca histórica de 2012 (29,97). O prefeito David Almeida enfatizou nesta manhã as ações realizadas na gestão municipal, de enfrentamento e prevenção aos prejuízos do fenômeno, além das iniciativas de atendimento às famílias impactadas pela subida do nível das águas.

“Sem dúvidas esse é um grande desafio, mas com planejamento, compromisso e organização estamos conseguindo minimizar os impactos dessa cheia, que nesta data acaba de entrar para a história. Nosso foco são as pessoas, as famílias e não estamos medindo esforços para agir de maneira concreta, como mostram as ações com os Auxílios Aluguel e Enchente, a construção de pontes, a limpeza dos igarapés, a entrega de cestas de alimentos, a construção da primeira feira flutuante do Brasil, entre outras iniciativas, que já estão em planejamento para o pós-cheia”, pontuou David.

Foto – Ruan Souza / Semcom

A Casa Militar, coordenando a Defesa Civil, tem atendido diariamente a demanda das famílias, que vivem nas áreas afetadas em 15 bairros da capital, para minimizar os impactos causados pela subida do rio. No período de 40 dias, os locais foram atendidos e mais de 9 mil metros de pontes foram construídos durante a operação “Cheia 2021”. Além disso, foram aplicadas mais de 10 toneladas de óxido de cálcio (cal) nas águas que invadiram a área central da cidade, para diminuir o odor, a proliferação de insetos e as doenças transmitidas pela água parada.

 

“Hoje, estamos vivendo um momento histórico. Muitas famílias estão sendo afetadas pela subida do rio Negro e a Prefeitura de Manaus tem trabalhado todos os dias, para que a população tenha um serviço qualitativo prestado pelo poder público. Construímos pontes de qualidade na cidade e atendemos lugares que nunca haviam sido atendidos. Isso mostra o comprometimento desta gestão com a população”, ressaltou o secretário municipal e chefe da Casa Militar,  tenente William Dias.

 

Infraestrutura e limpeza

 

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) integra o grupo da operação “Cheia 2021” e age em várias frentes, inclusive na construção de pontes nos bairros atingidos pelas águas, além de trabalhar todos os dias na desobstrução de bueiros. De acordo com o vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura, Marcos Rotta, as ações integradas entre as secretarias são uma orientação do prefeito David Almeida e só beneficiam a população.

 

“Mais um grande desafio está sendo imposto à administração feita pelo prefeito David Almeida e estamos aqui superando os problemas que surgem com a maior cheia de nossa história, com o rio Negro atingindo hoje a marca de 29,98 metros. Nos antecipamos ao máximo, para evitar maiores prejuízos ao construir mais de nove mil metros de pontes e passarelas, para garantir o ir e vir da população, além também da construção da primeira feira flutuante do Brasil, entre muitas outras ações que estão fazendo a diferença na vida das pessoas. Com união e planejamento, seguimos trabalhando por uma Manaus mais digna para todos”, afirmou Rotta.

 

A Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) retirou mais de mil toneladas de lixo dos igarapés, para ajudar no combate à cheia. Todo esse material foi encaminhado até o Aterro Sanitário Municipal, localizado no quilômetro 19 da AM–010 (Manaus – Itacoatiara). A atuação da Semulsp na limpeza fluvial foi uma das medidas preventivas no período do inverno amazônico, ocasião em que são registradas fortes chuvas e o transbordo de igarapés. Todo o lixo recolhido é resultado do descarte irregular, principalmente nos igarapés Mindu e Quarenta.

 

Feira flutuante

 

Com a subida do nível do rio Negro, cerca de 200 feirantes que trabalham na região da Manaus Moderna, foram realocados para a primeira feira flutuante do Brasil, construída pela Prefeitura de Manaus, em uma balsa, que permite o funcionamento dos setores de peixe e carne, com condições sanitárias e segurança, durante o período de cheia.

 

Assistência social

 

A Prefeitura de Manaus, via Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), já começou a pagar, a partir de terça-feira, 1º/6, o Auxílio Aluguel – Cheia 2021, para 1.315 famílias, sendo que cada uma terá direito a duas parcelas do benefício, no valor de R$ 300, conforme a lei nº 1.666/2012.

 

Diante da defasagem do valor em relação à inflação dos últimos anos, o prefeito David Almeida sancionou, no último dia 17, por meio da lei municipal nº 2.746/2021, o Auxílio Operação Cheia 2021, no valor de R$ 200, também com duas parcelas às famílias e começará a ser pago a partir da próxima semana, pelo Fundo Manaus Solidária.

 

“Como os cadastros ainda estão sendo realizados pelas equipes da Semasc nas áreas urbana e rural, o benefício será liberado em lotes. Nossas equipes estão trabalhando para validar os cadastros no nosso banco de dados e junto ao operador bancário, para que os próximos pagamentos estejam liberados no menor tempo possível”, afirmou a secretária da Semasc, Jane Mara Moraes.

 

Desde o último dia 18, a Semasc já fez a entrega de 2 mil cestas básicas às famílias que sofrem com a subida do rio Negro, nos bairros Educandos, Puraquequara, Glória, São Jorge, Mauazinho, Tarumã, São Geraldo e Presidente Vargas, e a comunidade Vila da Felicidade.

 

Nos próximos dias serão atendidas as famílias dos bairros Santo Antônio, Centro, Aparecida, Colônia Antônio Aleixo, Betânia, Crespo e Raiz. A secretaria também vai entregar colchões, lençóis e kits de limpeza.

 

 

Especial Publicitário

As maiores koiotagens

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui