28.8 C
Parintins
sábado, junho 19, 2021

Prefeito pede exército nas ruas para conter onda de violência em Manaus

“É lamentável o que está acontecendo na cidade de Manaus. Muitas estruturas estão sendo atacadas. O Estado não pode recuar. O Estado tem que ser firme”. Foi com esse discurso que o prefeito de Manaus, David Almeida se posicionou após uma série de ataques a estruturas municipais em diversos bairros da capital amazonense neste domingo, 6/6, inclusive a rotatória Umberto Calderaro Filho, popularmente conhecida como “bola das Letras”, que foi alvo das ações criminosas quatro dias após a reinauguração. O chefe do Executivo municipal ainda defendeu que o Governo do Amazonas solicite junto ao governo federal a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que autoriza o uso das Forças Armadas.

David Almeida explicou que, neste domingo, conversou com o comandante Miilitar da Amazônia, general Luís Carlos Gomes Mattos, e com o governador do Amazonas, Wilson Lima, sobre as atitudes que devem ser tomadas pelo poder militar para impedir que os membros desses grupos criminosos continuem depredando e destruindo o patrimônio público, como ônibus, ambulâncias, praças e escolas.

 

“Se estão fazendo isso durante a luz do dia, o que pode vir durante a noite, pode ser muito pior. Delegacias já estão sendo atacadas. Temos que invocar a GLO. Está mais do que na hora do Exército entrar nas ruas. Não se pode deixar que os marginais tomem conta. O Estado tem que aplicar mão firme, agir com rigor, para que atitudes como essa não aconteça mais na nossa cidade. (Eles) Foram longe demais. Um abuso extremo que a sociedade não compactua, não aceita. Eu, como prefeito, não vou aceitar isso”, enfatizou Almeida.

 

O chefe do Executivo municipal ainda fez um apelo para que a sociedade auxilie os órgãos de controle no combate ao tráfico de drogas. “Ou a sociedade toma uma atitude para acabar com as drogas ou as drogas vão acabar com à sociedade. Esse é o momento de todos nos unirmos e termos sim a presença do exército nas ruas para colocar esses marginais no lugar deles”, frisou o prefeito.

VEJA

 

Guarda Municipal

 

O prefeito de Manaus lamentou os ataques realizados a rotatória Umberto Calderaro Filho, popularmente conhecida como “bola das Letras”, localizada na avenida Theomário Pinto da Costa, conjunto Dom Pedro, bairro Dom Pedro, zona Centro-Oeste de Manaus, ocorridos apenas quatro dias após a reinauguração, ocorrida na última quarta-feira, 2/6.

 

Questionado sobre as atitudes que irá tomar para que outros espaços públicos não sejam depredados, David Almeida reforçou a intenção de armar a Guarda Municipal, dando assim, poder de polícia para os profissionais que fazem a segurança dos espaços públicos.

 

“Tínhamos quase que certeza que iriam fazer isso (ataque a Bola das Letras). Vamos armar nossa Guarda Municipal. Só não armamos ainda em função de alguns decretos que impedem a criação de novas estruturas. Eu vou encontrar o caminho necessário, porque se estou com a minha guarda municipal armada aqui, isso não teria acontecido. Isso é lamentável. A sociedade manauara e amazonense não aceita. Nem numa guerra atacam uma ambulância. Esses marginais atacaram a ambulância. Muito ousados. Chega”, enfatizou Almeida.

 

Denúncia

 

David Almeida pediu para que a população, caso saiba o paradeiro desses criminosos, entre em contato com o 190 e faça a denúncia. “Você que sabe onde esses marginais andam, se rondam a sua rua, ligue para a polícia e denuncie. Essa é a hora de tomarmos uma posição contra esses marginais. Não vamos ficar reféns e a mercê da marginalidade. Nós não vamos parar, nós vamos continuar trabalhando e eu espero que o Estado possa agir com pulso firme, mão firme para coibir esse tipo de ataques”, finalizou.

 

Especial Publicitário

As maiores koiotagens

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui