O programa “Auxílio Conectividade”, está oficializado por meio da Lei nº 2.733, publicada no Diário Oficial do Município (DOM) nº 5.055, que pagará aos professores em exercício da Secretaria Municipal de Educação (Semed) o valor de R$ 70 diretamente no contracheque do servidor. O objetivo é proporcionar ajuda financeira para contratação de serviços de dados de internet para realização do trabalho com alunos da rede municipal de ensino de forma remota.

Para a execução do programa, a prefeitura alocou uma verba de R$ 10 milhões. A demanda surgiu no início do teletrabalho, causado pela pandemia da Covid-19, em abril do ano passado, quando os professores passaram a trabalhar de casa para garantir o fluxo de aprendizagem dos alunos.

O secretário de Educação, Pauderney Avelino, destacou que, além de aprovar o auxílio, a prefeitura se movimenta para dar mais opções para alunos e professores. “O prefeito David Almeida aprovou o Auxílio Conectividade, a partir do qual são destacados R$ 70 no contracheque de cada professor, para que ele possa comprar um plano de dados de operadora, que vai garantir um rápido contato com os alunos. Além da conectividade, estamos trabalhando o programa para dar ao professor R$ 100 ao mês durante 20 meses, para que ele possa comprar um notebook para dar essa aula”, completou o secretário.

A notícia do auxílio, de acordo com a gestora do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Maria da Fé Anzoategui, Patrícia Glória, foi recebida pela equipe escolar de forma muito positiva e motivadora. “Com o Auxílio Conectividade agora as professoras poderão pagar uma internet de mais qualidade para alcançar os objetivos do projeto aula em casa de forma mais eficaz. Nossas metas, a partir desse novo anúncio, é resgatar todos os nossos alunos não engajados, por meio de mais comunicação pelas redes sociais”.

 

A professora Ediana Santiago Barreto, do Cmei Eliakin Rufino, concorda com Patrícia e diz que, por conta dos pacotes de internet serem muito caros em Manaus, essa é uma ajuda bastante importante.

 

“Vejo como um olhar da administração para as condições de trabalho do professor, que ano passado teve que custear todo o seu trabalho. Esse auxílio vai ser um pequeno suporte que vai pelo menos em parte, auxiliar no pagamento do nosso plano de Internet”, finalizou Ediana.

 

Pagamento


A previsão é que o pagamento do auxílio comece a partir do mês de abril, retroativo ao mês de março, dependendo da publicação do decreto regulamentador. A lei deverá ter seus efeitos cessados no momento em que decreto do Executivo municipal determinar o retorno do ensino regular, com atendimento presencial dos alunos e profissionais da educação nas unidades de ensino.

 

— — —

Texto – Alexandre Abreu/Semed

Fotos – Alex Pazuello/Semed

 

Disponíveis em – https://bityli.com/lA2B9

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui