Fotos – João Viana/ Semcom

O prefeito de Manaus, David Almeida, ampliou o “Auxílio Conectividade”, que beneficiará a partir de agora mais de 10 mil servidores da Secretaria Municipal de Educação (Semed). A alteração, que está no decreto nº 5.097, publicado nesta quinta-feira, 17/6, no Diário Oficial do Município (DOM), passa a incluir assessores que atuam nas Divisões Distritais Zonais (DDZs), nos Centros Municipais de Atendimento Sociopsicopedagógicos (CEMASPs) e na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM).

“O Auxílio Conectividade vai ajudar os servidores da Educação a melhorarem cada vez mais a qualidade do ensino. E decidi ampliar o benefício para que cada vez mais profissionais tenham acesso à internet. Com esse valor, disponibilizado mensalmente, eles conseguirão produzir mais conteúdos e facilitar o ensino dos estudantes”, disse o prefeito.

Os novos beneficiários irão receber o valor de R$ 70, diretamente no contracheque, a partir de julho. Professores, pedagogos e servidores administrativos da Semed recebem o auxílio desde abril, com retroativo de março.

A ampliação tem como base que a atividade pedagógica de forma híbrida requer dos docentes acessos a plataformas digitais, vídeos educativos, pesquisas, inserção de informações sobre frequência digital e objetos do conhecimento ministrados, além de gerenciamento da sala de aula virtual em redes sociais.

Segundo o secretário municipal de Educação, Pauderney Avelino, a alteração surgiu da necessidade de proporcionar aos profissionais da educação, em efetivo exercício, ajuda financeira para contratação de serviços de dados de internet.

“O prefeito David Almeida decidiu ampliar esse benefício a todos os assessores das Divisões, dos Cemasps, que é muito importante e também aos assessores da DDPM. Essa ação vem junto com o decreto anterior aumentar ainda mais o número de docentes com mais condições de trabalho, por isso esse é um programa de sucesso”, pontuou o secretário.

O recurso destinado ao pagamento do benefício é de R$ 10 milhões, remanejado do Programa de Trabalho Orçamentário de Manutenção do Programa Transporte Escolar, como explica o subsecretário municipal de Administração e Finanças da Semed, Lourival Praia.

“Essa alteração está prevista no orçamento. Quando o programa foi criado, esperávamos pagar R$ 10 milhões anual. Por mês estávamos pagando cerca de R$ 725 mil, ou seja, tínhamos margem para fazer essa alteração e com isso incluímos mais 461 servidores da educação e agora temos um total de 10.828 trabalhadores da rede municipal atendidos com o auxílio”, esclareceu Praia.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui