Márcia Baranda, Michele Valadares, Vanessa Gonçalves, Nega Alencar
Márcia Baranda, Michele Valadares, Vanessa Gonçalves, Nega Alencar

Por Rony Belchior Especial Para o Site do Koiote: Em 2020 Parintins deve eleger uma prefeita Isso mesmo, tudo porque a luz vermelha de alerta foi acesa aos olhos dos prefeituráveis e das prefeituráveis em Parintins, e agora ganhou nitidamente a cor verde de sinal aberto, ou de “foi dada a largada!”.

Há exatas seis semanas atrás, ou um mês e meio, o resultado de uma pesquisa eleitoral agitou o cenário político na Ilha e teve o efeito de um tapa na cara de pretensos candidatos a prefeitura.

Na ocasião, o recém renomeado Instituto de Pesquisa Imarketing, antigo Instituto 365, de Manaus, realizava uma sequência de pesquisas de opinião eleitoral em alguns municípios do Amazonas e Parintins foi um dos contemplados pelo instituto. Só pra recordarmos, na amostragem de Parintins 360 eleitores foram entrevistados por telefone nos dias 23 e 24 de março, e teve margem de erro de 5%. Na amostra ESPONTÂNEA, ou seja, aquela que o eleitor fala o primeiro nome que lhe vem na memória, a ordem ficou assim definida: 1º Bi Garcia com 14%; 2º Márcia Baranda com 5,8%; 3º Nêga Alencar com 3,6; 4º Juscelino Manso com 2,8%; 5º Dodó Carvalho com 0,6%.

Segundo o Imarketing, esses teriam sido os lembrados logo de sopetão pelos entrevistados, além de 7,5% para outros nomes e os surpreendentes 65,3% de indecisos, é muita gente.

Já na amostra ESTIMULADA, ou seja, quando o pesquisador apresenta uma lista de nomes, a ordem ficou assim: 1º Bi Garcia com 25,8; 2º Juscelino Manso com 21,1%; 3º Nêga Alencar com 20,6%; 4º Márcia Baranda com 16,9%; 5º Dodó Carvalho com 6,9%. Neste caso o Imarketing revelou que apenas 7,8% disseram que não votam em nenhum dos listados e menos de 1% se disseram indecisos.

Quando me refiro em luz vermelha de alerta e luz verde de sinal aberto, refiro-me a radical mudança de postura pública dos quatro primeiros colocados da pesquisa. Cada um, de acordo com a sua área de atuação, buscando melhorar ou recuperar o prejuízo.

A pesquisa do Imarketing veio para acordar quem estava deitado em berço esplendido esperando sua eleição chegar como uma jogada de sorte, semelhante ao que aconteceu com o ex-prefeito Alexandre da Carbrás. Alexandre que aliás, reclamou por não ter seu nome listado na pesquisa, enfim, essa é uma outra história. Por que não é difícil afirmar que em 2020 Parintins vai eleger uma prefeita? Simples. O atual prefeito Bi Garcia, em busca do 4º mandato, assim como o ex presidente da câmara e vereador de dois mandatos Juscelino Manso, já tiveram suas imagens e trabalhos exibidos em cargos públicos eletivos importantes, bem como também são figuras constantes pelo menos nas últimas dez disputas eleitorais seguidas no município, portanto, já bem conhecidos do eleitor, sendo assim, passiveis de um julgamento mais rígido nas urnas.

Maria Alencar, a Nêga, está no primeiro mandato de vereadora e já guarda as lembranças de duas disputas eleitorais, eleita de cara logo na primeira que disputou e relativamente bem votada na recente segunda disputa; tem a seu favor a posição política que ocupa na Câmara de Vereadores, pois apresenta-se como oposição a atual terceira gestão do prefeito Bi Garcia, além de ter grande carisma junto a população de menor poder aquisitivo da periferia de Parintins. Atualmente tem trabalhado bastante seu marketing pessoal virtual.

A empresária Márcia Baranda carrega em seu currículo a marcante gestão de 2011 a 2013 à frente do Boi Caprichoso conquistando apenas um título do festival, mas devolvendo aos torcedores azulados o que os mesmos chamam de “orgulho de ser Caprichoso”, além de empreender sucesso e organização em diversos setores do bumbá em sua administração. Márcia disputou a prefeitura de Parintins em 2016 ficando em segundo lugar. Há quase quatro anos mantem um programa de rádio de excelente audiência na cidade, principalmente entre as camadas mais populares. Através do rádio dá voz aos diversos segmentos da sociedade, gozando assim de bom transito e prestigio entre as classes alta, média e baixa de Parintins.

Mesmo não sendo citada diretamente na pesquisa eleitoral do Imarketing, a ex primeira dama do município Michele Valadares reapareceu no cenário local. Cercada de especulações quanto a ou as verdadeiras razões de sua vinda a Parintins nos últimos dias, Michele reuniu com alguns segmentos e foi bastante festejada por parintinenses que ainda veem nela a “mãe dos idosos” e a “eterna primeira dama”, enfim, veio e causou boa impressão entre muita gente.

Dessa forma, entre os nomes em principio apresentados para a eleição municipal do ano que vem, podemos notar que o de três mulheres se destacam e o de duas se sobressaem, Márcia e Nêga, ambas falam em “oportunidade para fazer”, o que pode ser bem encarado pelo eleitor ano que vem. Juscelino continua sendo um bom nome, porém para muitos, de fraca expressão política. Bi Garcia, manchado por seus inúmeros processos judiciais, inclusive agora também em nível federal, lidera sem folga e com preocupação as pesquisas eleitorais oficial e extraoficiais já realizadas.

O que mais pesa negativamente para Bi Garcia são os seus dois primeiros anos do atual terceiro mandato, os mesmos foram marcados por suas inúmeras ausências do município, boa parte delas por motivos justificadamente pessoais e também por sua inabilidade em resolver problemas que afligem a população como geração de emprego, iluminação pública, saúde e infraestrutura, pois é um político experiente, indo assim de encontro as suas falas de campanha. Foi dada a largada e a eleição municipal de promete fortes emoções. Afinal, será que em 2020 Parintins vai eleger uma prefeita?

* Rony Belchior é radialista