22.4 C
Parintins
sábado, maio 15, 2021

Morre aos 51 anos Arlindo Júnior, o eterno Pop da Selva

Morreu às 22h20 deste domingo, dia 29, aos 51 anos de idade, o cantor Arlindo Pedro da Silva Júnior, ex-vereador de Manaus, ex-subsecretário de Cultura do Amazonas, ex-secretário de Cultura da capital, eterno apresentador do boi bumbá Caprichoso.

Arlindo lutava contra um câncer de pulmão desde 2016, estava internado desde quinta-feira, dia 26, no Hospital Samel, no Centro de Manaus, e teve o quadro agravado na madrugada de hoje.

No fim da tarde, precisou se submeter a hemodiálise; à noite, um de seus rins parou, por volta das 23h ele teve uma parada cardíaca e em seguida morreu.

O artista deixa viúva Rosilene Dourado e órfãos cinco filhos.

Em maio deste ano, ele procurou o BNC AMAZONAS para gravar um depoimento sobre o momento que estava atravessando.

Arlindo Jr.

Trajetória na toada

Manauara do samba e do pagode, foi com a toada de boi bumbá que Arlindo Júnior aconteceu para a música, como levantador do Caprichoso.

Sua entrada no ritmo aconteceu em 1988, quando foi a Parintins para uma festa de samba.

Lá, foi convidado pelo compositor José Carlos Portilho a participar da gravação do primeiro LP do boi Caprichoso e no ano seguinte, em 1989, defendeu na arena do Bumbódromo o item 2, do Touro Negro.

Ele revolucionou o item, transformando a acanhada brincadeira num espectáculo, fato que lhe o título de “O Pop da Selva”.

Até sua chegada ao posto, os levantadores se apresentavam como apoiadores do apresentador do espetáculo.

Ele, porém, introduziu movimentos na apresentação, passou a se apresentar com roupas produzidas e a comandar festas, além da disputa.

Arlindo também teve grande contribuição na divulgação do boi de Parintins em Manaus. E foi por causa do espetáculo que apresentava que as casas de shows da capital abriram as portas para o ritmo que chegava do interior.

Marcas do Pop

Parceiro de Arlindo Júnior, desde a gravação do LP de 1988, o maestro Neil Armstrong será lembrado principalmente pelas todas “Bicho homem”, de Ronaldo Barbosa, “Pesadelo dos Navegantes”, de Ronaldo Barbosa, e “Luz, mistério e magia”, de J. Carlos Portilho.

Luz, o palco se ilumina
É brilho é luz é vida
O povo está em festa
Pra brincar de boi-bumbá
Eu vou brincar
São dois pra lá e dois pra cá
Eu vou brincar
Boi Caprichoso faz a festa

És meu sumo de alegria
Flor do campo és magia
és folclore és o boi (boi, boi, boi)
Num desejo tão ardente
Nesta festa envolvente
Canto forte pro meu Boi
Hoje eu vou brincar de boi
Eu vou brincar
Faço festa pro meu boi
Eu vou brincar
Parintins está em festa
Tudo é azul e branco
É festa de boi

/// Fonte: BNC AMAZONAS

Especial Publicitário

As maiores koiotagens

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui