Mantegão diz não ter medo de Nene e nem de ser cassado
Mantegão diz não ter medo de Nene e nem de ser cassado

O vice-prefeito da Cidade de Nhamunda, no limite entre os estados do Amazonas e Pará, Cleudo Tavares o Mategão, disse ser mentirosa a alegação do prefeito Gledson Hadson Paulain Machado ou Nene Machado, sobre o motivo da briga deles, ocorrida na última sexta-feira, dia 11 de maio no gabinete da prefeitura.
Pela versão de Nene, Mantegão ficou bravo, pois o filho foi demitido e queria a recontratação. O que seria nepotismo direto. Mas em contato com a coluna do Koiote do site ParintinsAmazonas, Mantegão nega e desafia Nene. “Acho que o prefeito deveria ser homem. Ter caráter e falar a verdade. É totalmente o contrario do que ele falou na reportagem de que eu perdi a cabeça por causa da demissão do meu filho. Foi o contrário. Eu estava querendo que ele desse a conta do meu filho mesmo. Chegou a decisão da Justiça para a nossa gestão pagar mais de R$ 1 milhão da época do seu Tomaz Pontes. Quando o Nene veio de Manaus e sem falar com ninguém ele demitiu muitas pessoas e vários amigos meus e meu filho. Eu estava no interior. Quando eu cheguei disse: Meu filho se você está demitido eu não vou me meter e pedir para você ficar. Se eu for me meter é para falar a favor de todos os nossos amigos e apoiadores que foram demitidos. Agora o que eu falei ao meu filho de procurar a administração, setor de pessoa e financeiro. Pegar o documento oficial da demissão e procurar os direitos. Pois quem presta serviço tem direito. Mas por mim você não trabalha mais no município. Uma semana depois meu filho procurou o secretário de administração, o Senhor Mezak. Que é um senhor de ética e caráter. Quem quiser ouvir ele, ouça. E o seu Mezak vai dizer quantas vezes o meu filho foi procurar o documento de demissão e não tinha o documento. Pois o prefeito Nene não disponibilizou a decisão. Isso rolou mais de um mês. Meu filho não tinha o documento da demissão. Então estava a disposição do município. Meu filho foi se apresentar no trabalho e não podia, pois o Secretário de Saúde dizia que o prefeito tinha de esperar o prefeito para tomar uma decisão. A verdade é essa. E não dizer que eu fiquei bravo pois deram a demissão dele”, contou.
Para Mantegão, o prefeito Nene tenta nesse momento passar uma imagem para a população e para a opinião pública de pessoa pública boa. Coisa que não é. “ Um cara desse (prefeito Nene) é muito engraçado. Ele é o que mais humilha as pessoas. É o que mais fala alta com as pessoas e hoje quer dá uma de coitadinho. Acho que o prefeito deveria ser homem. Ter caráter e falar a verdade. Meu filho queria o documento da exoneração e ele sabe que eu estou falando a verdade ou que eu queria nepotismo”, afirmou ao site.

Nene e Marina

O vice-prefeito também disse que o desejo de Nene Machado, em apoiar a secretária de assistência social Marina Pandolfo, não o influenciou para o desentendimento e a briga no gabinete. “ Todo mundo sabe que a candidata dele é a secretária Marina, mas a nossa confusão não teve nada a ver com esse apoio. Foi por causa desse impasse com meu filho. Mexer comigo é uma coisa. Mas mexer com filhos é outra coisa”, diz.
Mantegão confirmou que teve a discussão e agressão verbal de ambos os lados. “Quem conhece o Nene sabe do jeito dele. Nós dois nos agredimos. Agora da agressão física, me disseram que ele fez corpo de delito. Então vão saber se meti a porrada nele ou não. Eu não vou falar sobre isso. Vou deixar para os médicos, A agressão verbal foi dos dois lados e ele sabe disso”, diz.

Denuncia na Câmara

Quanto a intenção do prefeito Nene Machado, pedir a cassação do vice-prefeito pela invasão, agressão e quebra de decoro parlamentar, Mantegão diz não ter medo. “O que eu tenho a dizer é que nós já estamos cassados. Então para mim isso não influência nada não. Hoje nós já somos cassados. Mas que ele procure o direito dele. Não tem problema não. Mas é mais fácil ele ser cassado primeiro do que eu. Do que ele me cassar.
Cleuto Tavares Mantegão esteve na segunda-feira dia 13 de maio, na a Delegacia do 39º Distrito Policial de Nhamundá para prestar depoimento sobre o ocorrido.

[email protected]
[email protected]
(92)991542015