Em relação ao 41º Informe Epidemiológico, publicado no dia 17 de dezembro, houve uma redução no número de casos confirmados DIVULGAÇÃO SECOM
Em relação ao 41º Informe Epidemiológico, publicado no dia 17 de dezembro, houve uma redução no número de casos confirmados DIVULGAÇÃO SECOM

Com mais de 30 dias sem registro de novos casos confirmados de sarampo, realizados por exame laboratorial, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), continua reforçando o trabalho de vigilância, monitoramento e bloqueio vacinal, além das recomendações para a avaliação da situação vacinal de todas as pessoas que procuram atendimento em uma Unidade de Saúde.

O último caso confirmado da doença por exame laboratorial foi registrado no dia 22 de novembro. Entretanto, no período de 16 a 22/12, a Semsa registrou dois novos casos suspeitos, notificados em Unidades Básicas de Saúde (UBSs) dos bairros Morro da Liberdade e Japiim, zona Sul.

“A orientação é para que as Unidades de Saúde da rede municipal continuem a avaliar a situação vacinal de todos os pacientes que procuram atendimento, seja para a consulta médica ou de enfermagem, para buscar medicamento ou realizar exames. A população pode colaborar apresentando o cartão de vacina para que os profissionais possam orientar sobre a atualização vacinal”, informa o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

Informe

O 42º Informe Epidemiológico de Monitoramento de Casos de Sarampo, divulgado pela Semsa na última segunda-feira, 24/12, aponta que, desde fevereiro, Manaus registra 8.977 notificações de sarampo. Desse total, 7.297 são casos confirmados, 1.668 descartados após investigação e 12 casos ainda em investigação (aguardando resultado laboratorial).

Apesar da redução de novos casos suspeitos registrados a cada semana, de acordo com a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), enfermeira Marinélia Ferreira, os serviços de saúde e a população precisam continuar em alerta para que não haja um novo aumento nos registros.

“As pessoas que ainda não se vacinaram ou não completaram o esquema vacinal devem procurar uma UBS para imunização contra a doença. E os pais e responsáveis também precisam ficar atentos para o esquema vacinal contra o sarampo para as crianças”, alerta Marinélia, informando que os dois novos casos suspeitos, notificados na semana passada, foram identificados em crianças na faixa etária de um a cinco anos.

Em Manaus, a vacina tríplice viral, que imuniza contra sarampo, rubéola e caxumba, é recomendada para pessoas na faixa etária de seis meses a 49 anos. “Continua vigente na rede municipal de saúde a antecipação da dose de tríplice viral para crianças de seis a 11 meses, até que o surto de sarampo em Manaus seja declarado encerrado, assim como da necessidade do início do esquema de rotina preconizado a partir de 12 meses de idade, com intervalo mínimo de 30 dias da dose antecipada, e complementação do mesmo com a segunda dose, a ser realizada com a vacina tetra viral a partir dos 15 meses de idade”, ressalta.

Do total de 7.297 casos confirmados no 42º Informe Epidemiológico, 24,8% estão na faixa etária de 20 a 29 anos, seguida da faixa etária de 15 a 19 anos (21,5%), menores de um ano (17,1%), de 30 a 49 anos (14,6%) e de 1 a 5 anos (11,8%).

Em relação ao 41º Informe Epidemiológico, publicado no dia 17 de dezembro, houve uma redução no número de casos confirmados, resultado de um trabalho de monitoramento e qualificação de dados realizada pela Vigilância Epidemiológica a partir da liberação de exames.

A vacina tríplice viral está disponível em 183 salas de vacina do município de Manaus. A lista com o endereço das Salas de Vacina pode ser acessada no site da Semsa (https://semsa2018.manaus.am.gov.br/).

— — —

 

Texto: Divulgação / Semsa

Foto: Divulgação / Semsa