Corre atrás do fato por você

Jovens entre 20 e 59 anos mortos pela COVID-19 cresce em São Paulo

Enfermeira segura a mão de um paciente com Covid-19 na UTI do Hospital São Paulo - Amanda Perobelli/Reuters

Covid-19 leva cada vez mais jovens no estado de São Paulo. O número de mortes entre pessoas com menos de 60 anos de idade cresce mais rápido do que entre os idosos, desde o início do ano. As vítimas entre 20 e 59 anos eram cerca de 20% do total no começo de janeiro. Agora são 28%.

Do início de janeiro até meados de março, o número de mortes entre os moradores de São Paulo com 60 anos ou mais cresceu 94%. Entre aqueles na faixa de 40, 252%. Na casa dos 50, 172%. 

O menor crescimento ocorreu entre pessoas com 90 anos ou mais: 15,5% (a vacinação deve ter ajudado, mas ainda não é possível cravar).  

A doença também passou a matar mais gente sem “comorbidades”. É um resultado esperado do espalhamento do coronavírus entre os mais jovens. O risco aumentou para quem não é idoso e é, em geral, saudável.

Os números são resultado de um levantamento do número de óbitos ocorridos em períodos de 12 dias de 21 de dezembro do ano passado até 19 de março, com dados do Seade, o “IBGE” do governo paulista.Entre os extremos do período analisado, a variação é estatisticamente significativa, diz Paulo Lotufo, epidemiologista e professor de medicina da USP.

A Covid-19 é ainda uma doença muito mais letal para idosos e pessoas com as ditas comorbidades, doenças preexistentes que facilitam a devastação causada pelo coronavírus. No estado de São Paulo, 2 de cada 100 pessoas (2%) com mais de 90 anos morreram da doença desde o início da epidemia. Entre todos aqueles com 60 anos ou mais, a Covid-19 levou para sempre 0,7%. Na casa dos 50, 0,15%.

 

LEIA A Reportagem completa no Folha de São Paulo

https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2021/03/proporcao-de-jovens-mortos-por-covid-19-cresce-em-sp.shtml

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.