23.3 C
Parintins
segunda-feira, maio 10, 2021

Isadora anjinho de um legado para sempre na luta TEA

Não somos treinados a perder a pessoa que a gente ama. Nem treinados a conviver com isso. A morte é uma senhora cruel. Uma experiência muito dolorosa. A maior dor emocional de um pai e de uma mãe é a perda de um filho ou de uma filha. Não tenha dúvida é a maior dor do mundo. Não sabemos o que dizer, pois o que será dito ou escrito de nada vai alcançar o sentido completo. 

Uma morte repentina, sem aviso e sem sentido é mais desoladora ainda. Afinal onde está o sentido da partida de um ser inocente. Perder alguém em uma fração de segundos. Estamos sofrendo com a morte da pequena Isadora Tupinambá. Estamos sofrendo com o casal Babá Tupinambá e dona Bruna. Estamos todos impotentes. Um ser inocente, cheio de vida, sorriso fácil e um mundo todo pra conquistar. Faleceu vítima de afogado com apenas dois anos de idade. 

O afogamento é um acidente rápido e silencioso. Segunda causa de morte de crianças entre 01 até 9 anos no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde. Essas mortes podem acontecer em piscinas, rios, lagos, mar e até mesmo em banheiras e baldes de até três dedos de água. 

Padre Zezinho escreveu na letra da música “Brigar com Deus’ existir feridas que não se curam com pomadas. Mas com tempo. Como ter forças para recomeçar é sempre prematuro tentar saber. 

Um luto é um deserto que é atravessado sozinho, descalço e no escuro.  Apesar de muitas pessoas ao redor, a experiência é individual e única. É recolhimento temporário de espírito e físico. Mas estamos desolados, pois uma peça fundamental e pessoa especial como a pequena Isadora partiu.  As redes sociais chovem mensagens lindas e emocionantes de homenagens e de solidariedade.  Todos estão um pouco fragilizados. 

Aliás, segundo o dicionário Isadora significa “dada por Ísis” ou “dádiva de Ísis”. A origem do nome Isadora é o grego Isídoros, formado pelas palavras Isis (nome da deusa egípcia) e dôron, que quer dizer “presente”, “dom” ou “dádiva”.  O nome Isadora é considerado uma homenagem a Ísis, a deusa egípcia da maternidade e da fertilidade.

Babá e dona Bruna estamos aqui chorando por vocês. Também tentando entender esse pesadelo todo. Nesse tempo de ‘luto coletivo’ imposto por esse desgraçado vírus da COVID-19 trouxe ao mundo desde final de 2019, na qual não podemos nem abraçar quem precisa de conforto, nos perguntamos porque logo a pequena Isadora morre afogada. Afinal, acostumamos a ler, ouvir e assistir o engajamento dos pais de Isadora na luta em prol a quem tem autismo. 

Dessa forma a pequena Isadora será a partir de agora um novo anjinho com um legado a ser lembrado para sempre. Isadora Tupinambá tem TEA – Transtorno do Espectro do Autismo. Fez o casal Babá e Bruna reencontrar um novo sentido de aprendizado. Então nessa dor sem tamanho, de desamparado pela perda, é momento de chorar e chorar. Mas Isadora nasceu e viveu intensamente e será símbolo de uma nova luta. A luta das pessoas que convivem com a TEA. 

 

 

Texto: Hudson Lima

[email protected]

Fotos: Arquivo das redes sociais 

https://www.facebook.com/KoioteAmazonas/

https://www.instagram.com/@koioteamazonas 

https://www.youtube.com/c/HudsonLimaHudsonlimakoiote

(92) 991542015 WhatsApp 

As maiores koiotagens

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui