25.2 C
Parintins
terça-feira, abril 20, 2021

Inscrições abertas para turmas do projeto Promotoras Legais Populares na capital e interior

Na tarde desta terça-feira (13/02), o Governo do Amazonas, por meio de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA), lançou o projeto “Promotoras Legais Populares (PLP).

Na ocasião, foram disponibilizadas vagas para mulheres da capital e para os municípios de Coari, Eirunepé, Lábrea, Manacapuru, Manicoré, Nova Olinda do Norte e Presidente Figueiredo.

A proposta do projeto é formar mulheres com potencial de liderança, a partir de aulas sobre legislação, canais de denúncia contra violência de gênero e outros assuntos que promovam o fortalecimento e cidadania das amazonenses. A aula inaugural será no dia 7 de março e acontecerá nas dependências da UEA em cada município.

“Queremos mulheres que multipliquem informações sobre os seus direitos nos bairros, nas comunidades e que gerem engajamento em suas vizinhanças”, destaca. ”Por determinação do governador Wilson Lima, a rede de atendimento à mulher é prioridade em nossa gestão, por isso, é preciso propagar essas informações”, destacou a titular da Sejusc, Caroline Braz, durante o evento.

A cerimônia de lançamento contou também com a presença do reitor da UEA, Cleinaldo Costa, da titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher, Débora Mafra, da juíza do 1º Juizado de Combate à Violência Contra a Mulher, Ana Lorena Gazíneo, da presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Auxiliadora Brasil, da representante do Coletivo Humaniza, Marília Freire e Denison Aguiar, coordenador do PLP.

“Colocamos toda nossa energia e disposição a favor desse projeto na capital e interior. Além da preocupação com a mulher em geral, especificamos esse combate à violência para mulheres negras, indígenas, quilombola, idosos, para crianças e adolescentes”, afirmou o reitor da UEA, Cleinado Costa.

 Expectativa – Participante de edições anteriores do PLP, a promotora legal Zilmara Amorim, de 40 anos, afirma que repassou os conceitos que aprendeu durante o curso para mulheres do bairro.

“A primeira vez que fiz o curso achei transformador, mudou a minha forma de pensar e sobre como passar o conhecimento a outras mulheres. Pequenas coisas que acontecem em nosso cotidiano e que muitas vezes não tratamos como violência merecem atenção”, relembra. “Dessa vez eu quero fazer o curso para me atualizar, já que mais leis entraram em vigor. Conhecimento nunca é demais”.

 Grade pedagógica – Neste ano, as turmas iniciam no dia 7 de março, seguindo até o mês de junho. A capacitação funcionará em 13 encontros sequenciais, aos sábados (de 8h às 12h), totalizando 52 horas, e prevê formar mulheres da capital e no interior do Amazonas. Para o segundo semestre de 2020 está prevista a preparação de um novo grupo de mulheres, tendo aulas de agosto até novembro.

As maiores koiotagens

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui