22 C
Parintins
quarta-feira, junho 16, 2021

Eletrobras abre novo plano de demissão para cortar até 1.681 funcionários

A Eletrobras abriu nesta 6ª feira (11.out.2019) 1 plano de demissão consensual de 2019. A meta da estatal, a maior do setor elétrico, é desligar até 1.681 até dezembro. A economia com o corte no quadro de pessoal pode chegar a R$ 510 milhões por ano.

De acordo com a empresa, o processo será implementado na holding e nas subsidiárias: CGTEE, Chesf, Eletrobras Termonuclear, Eletronorte, Amazonas Geração e Transmissão de Energia, Eletrosul e Furnas Centrais Elétricas.

O plano de demissão ficou acertado em 1 acordo com representantes sindicais, mediado pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho). A Eletrobras se comprometeu a oferecer a opção consensual para reduzir seu quadro de funcionários para 12.500 empregados efetivos, a partir de janeiro de 2020, e de 12.088, a partir de maio de 2020.

A Eletrobrás destacou que, após estas datas, “por iniciativa da empresa, ficam autorizados os desligamentos necessários para alcance dos quantitativos estabelecidos pelo TST”. O programa é voltado para empregados aposentados ou em condições de aposentadoria até 31 de dezembro, empregados de nível fundamental, ou de unidades operacionais desativadas.

A economia estimada neste novo plano de desligamentos é de R$ 510 milhões/ano, a 1 custo de cerca de R$ 548 milhões, o que representa um payback de 12,9 meses. O corte de gastos acontece em paralelo a mais uma tentativa do governo de repassar o controle da empresa para iniciativa privada.

Segundo o ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia), o Executivo encaminhará ao Congresso ainda neste mês o projeto de lei que trata da privatização da estatal. O aval é necessário para incluir a estatal no PND (Programa Nacional de Desestatização). /// Por poder360

Especial Publicitário

As maiores koiotagens

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui