Corre atrás do fato por você

Eduardo Braga sonha com Lula no palanque dele em 2022 no Amazonas 

Braga e Lula na eleição de 2014

O senador Eduardo Braga (MDB) vem articulando nos bastidores a todo o vapor formar uma base e fazer frente na eleição estadual de 2022, para disputar e tentar voltar de novo a ser governador. Braga governou entre 2003 até 2010. Agora vislumbra a possibilidade de ter o apoio do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva do PT. O petista que já pode ser candidato numa eleição, tem muito pontos de investimento em todo o Amazonas. Seria um trunfo na disputa. Na foto desta nota um dos momentos entre Braga, Lula e Dilma.

No Amazonas o PT começa a discutir os rumos para 2022 depois do primeiro semestre de 2021.

Lula e Braga 

Braga foi apoiador e aliado do governo de Lula e ajudou o petista a limar do senado, o então senador Arthur Neto (PSDB) na eleição de 2010. Braga ajudou a levar Vanessa Grazziotin (PCdoB) ao senado. Na época inclusive, Arthur acusou diretamente Braga e Lula de montarem um esquema de compra de votos para realizar a façanha. Arthur Neto era o maior desafeto do governo federal de Lula.

Braga e Arthur deixaram as mágoas de lado, lavaram a roupa suja em 2016 e foram unidos para a reeleição de Neto em Manaus. 

Lula fez campanha e enviou vídeos para campanha de Eduardo Braga em 2014 e pediu votos para a chapa “Renovação e Experiência”.

Braga líder da Dilma, votou pelo impeachment da petista 

Depois dos dois governo Lula (de 2003 a 2010), Braga virou líder e Ministro de Minas e Energia no Governo da petista Dilma Roussef a partir de 2011.  Mas em agosto de 2016 o senador Braga decidiu vota pelo processo de impeachment de Dilma Rousseff. Que os petistas chamaram de golpe. 

Inimigo é o Bolsonaro

Agora em 2021, o atual líder da bancada no Senado Federal no MDB, Dudu não espera que Lula mande apoio no 1º turno da eleição estadual, mas quem sabe num eventual 2º turno. Para isso Eduardo Braga fará de tudo, para ir até a próxima fase da disputa em 2022.  Afinal, o petista prega que depois de controlada a questão da pandemia da COVID-19, uma frente ampla deve ser discutida e formada para derrotar o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em todos os estados. 

Dessa forma Eduardo Braga, mantem-se longe de Bolsonaro e vem alinhando diálogo com os caciques nacionais de forma indireta de vários partidos, vislumbrando um futuro apoio  regional. 

 

Texto: Hudson Lima
[email protected]
[email protected]
#hudsonlimakoiote
(92) 991542015

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.