O jovem Jonas Cavalcante Macedo morreu vítuma de Coronavírus no Hospital  Raimunda Francisca Dineli da Silva, na cidade de Maués, no Médio Amazonas, no último domingo dia 28 de março de 2021.  Jonas tinha apenas 28 anos e sentiu os primeiro sintomas da COVID-19 depois do dia 10 de março.

No dia 13 postou nas redes sociais um conselho de alerta sobre os perigos da doença. Ele relevou ter sido infectado. E lembrou que não sofria de nenhuma comorbidade de saúde, era atleta praticante de vôlei e handebol, com boa alimentação,  fazia exercícios regulares e era jovem saudável. Mas Jonas alertou para a terrível doença provocada no ser humano.

”Pessoal que é novo, que é jovem. Por favor, evitem festinhas, evitem aglomeração com os amiguinhos. Gente esse doença não é fácil, ela derruba a gente de uma forma sem explicação. Eu sou bem de saúde, não sou gordo, me alimento bem, como todo tipo de verdura, pratico esporte frequentemente. E olha como eu estou aqui, fraco, sem força, me esforçando pra comer, sinto febre alta toda noite, meu corpo fica temendo, eu não sinto gosto de nada, não sinto cheiro, se não for minha namorada ficar insistindo pra eu comer, eu não como, pq não sinto fome. Essa Covid não tem gente nova, ou forte, ou atleta, ela derruba quem for. Só esse ano já perdi dois familiares pra essa doença, não é fácil isso, perdi minha prima que era minha comadre, e perdi meu tio agora. Não tá sendo fácil aceitar tudo isso.

Por favor, se puderem ficar em casa, fiquem em casa, evitem sair, principalmente se for pra fazer aglomeraçõeszinha com seus “amigos”. Fiquem em casa, essa doença ainda está forte aí pelo ar”,escreveu Jonas que infelizmente faleceu dia 28 de março. 

Jonas Cavalcante Macedo é irmão do Jornalista Liam Cavalcante e muito conhecido na Terra do Guaraná. 

Coronavírus atacando os mais jovens no Brasil 

O infectologista Noaldo Lucena participou de um comunicado “alerta” feito em janeiro de 2021, na classe médica sobre o agravamento da pandemia de covid-19 no estado do Amazonas ser mais rápido e mais grave, adoecendo e matando os mais jovens. “O que pode explicar isso são as mutações sofridas pelo vírus que geraram uma nova variante já identificada no estado. Nomeada provisoriamente de B.1.1.28, essa nova cepa seria capaz de entrar nas células humanas mais facilmente’, dizia a nota da época dos especialistas.

Também reportagem do ESTADÃO  os especialistas dizem que “A doença também passou a matar mais gente sem “comorbidades”. É um resultado esperado do espalhamento do coronavírus entre os mais jovens. O risco aumentou para quem não é idoso e é, em geral, saudável.

 

Texto: Hudson Lima

https://www.facebook.com/KoioteAmazonas/

https://www.instagram.com/@koioteamazonas 

https://www.youtube.com/c/HudsonLimaHudsonlimakoiote

(92) 991542015 WhatsApp 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui