Prefeito de Parintins Bi Garcia (DEM)

Num processo de avaliação sobre o pico de contaminação em Parintins, provocado pela pandemia do novo coronavírus, lamentavelmente a classe dos idosos acima de 60 anos, considerada do grupo de risco, é a mais afetada com contaminação, internação mais prolongada, internação com entubamento e óbitos. Das 48 mortes registradas desde 23 de março, até esse 25 de maio, vidas de 38 homens e mulheres acima de 60 anos foram ceifadas.

Segundo o Boletim Epidemiológico COVID-19, o número representa 79,17% das mortes em Parintins. Pior, esses idosos cumprem o isolamento social de não sair de casa, mas o distanciamento social dos familiares não. Dessa forma, são infectados em casa, a chamada contaminação domiciliar. Filhos, netos, bisnetos, que muitas vezes tem o vírus mais são “pacientes assintomáticos”, ou seja, não apresentam os sintomas da doença, estão “levando o vírus para dentro de casa”.

O prefeito de Parintins, Bi Garcia (DEM), lamentou a situação e como medida extrema pediu que os profissionais de saúde que atuam nas UBS redobrem cuidado em acompanhar a saúde dos idosos, com a ajuda da família. “O vírus está pegando muito nos idosos, por isso a prioridade da gente priorizar os chamados grupo de risco, os idosos estão no grupo de riscos e os profissionais dos Centros de Saúde estão recomendados a buscar esses idosos, precisam encontrar esses idosos nos bairros para saber como está a saúde deles. Estamos avançando e achatando a curva. Quem sabe logo, logo podemos vencer o vírus, mas agora precisamos redobrar a atenção com os idosos”, comentou o prefeito de Parintins.

Fotos de idosos que venceram o COVID-19 Assessoria PMP

Segundo o Secretário de Saúde, Clerton Rodrigues, como o COVID-19 de certa forma poupa as crianças, mas os idosos estão no topo do pico de morte. Ele apela que pessoas com idosos em casa redobrem a atenção e não saiam aleatoriamente para não trazer o vírus.

“Na taxa de mortalidade, os idosos são os mais comprometidos e vulneráveis. Na avaliação das pessoas positivas eles dizem “mais meu filho, são sei como peguei essa doença, pois não sai de casa”. Esse ponto crítico e crucial, em que a família e população tem de entender, as pessoas que estão saindo de casa e realmente na rua estão levando os vírus para dentro de casa. Contaminando seus avós e pais idosos, mães idosas, isso é fator preocupante, pois a contaminação em domicílio tem situações que os idosos morrem em casa, sem procurar ajuda médica, ou quando chegam está muito evoluído e tem de ser entubado. O idoso em situação de gravidade tem o tempo de internação maior. Peço as famílias que tem idosos, evitem a circulação, se o fizer façam com equipamento de proteção, mas da forma mais restrita possível, pois temos uma fala que “o vírus ele não circula, quem circula são as pessoas levando o vírus”. As pessoas estão trazendo os vírus para dentro de casa e contaminando os idosos, a população precisa manter isolamento social e distanciamento social”, pediu Clerton Rodrigues.

Por meio do exame de reteste com prova e contra prova (PCR-RT), entre 22 de março até 24 de maio detectou-se 13 idosos acima de 60 anos com o vírus. Já os casos confirmados no teste rápido, acumulado entre 18 de abril e 24 de maio registrou 167 idoso contaminados de Coronavírus.

 

Da Redação – Hudson Lima

(92) 991542015