Da porta do cemitério, famílias acompanham enterro de mortos por Covid-19 em Manaus e lamentam despedida à distância: 'Desumano' — Foto: Eliana Nascimento

O Amazonas ultrapassou a marca de 3 mil casos confirmados do novo coronavírus, nesta sexta-feira (24). Conforme boletim atualizado da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), o estado registrou 306 novos casos confirmados da Covid-19, nesta sexta, totalizando 3.194 pessoas contaminadas pela doença. O número de mortes ocasionadas pela Covid-19 chegou a 255.

O número de pessoas recuperadas da doença, que são consideradas fora do período de transmissão, chegou a 1.037. Outros 1.642 casos confirmados de Covid-19 estão em isolamento social ou domiciliar.

Dentre os casos confirmados da doença, 2.481 são apenas em Manaus. Outros 41 municípios também apresentam casos do novo coronavírus. Manacapuru registra o pior cenário do interior do estado, com 247 casos confirmados e 14 mortes.

A FVS-AM informou, ainda, que há 260 casos confirmados de Covid-19 que se encontram internados em hospitais públicos e privados. A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Pinto, destacou que, hoje, “o lugar mais seguro do mundo é dentro da sua casa” e reforçou que o isolamento social ainda é a medida mais eficaz de prevenção da doença.

De acordo com Rosemary, o Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM) tem entregado, todos os dias, o diagnóstico de cerca de 400 testes para Covid-19. Mesmo assim, conforme boletim desta sexta-feira, 1.764 amostras continuam aguardando resultado no Lacen.

Internados por Covid-19 no AM

A FVS informou, nesta sexta-feira, que há 1.050 pessoas internadas com suspeita e confirmação para a Covid-19. Desse total, 260 casos testaram positivos para a doença. A FVS também aponta que 705 pacientes estão em leitos clínicos e outros 345 estão em leitos de UTI.

Nesta quinta-feira (23), a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública de saúde do Amazonas chegou a 96%, segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam).

De acordo com os dados divulgados pela Susam, dos 668 leitos disponíveis para atendimento de pacientes com Covid-19 na rede de saúde, 90,5% estão ocupados. São 222 leitos de UTI disponíveis, com a taxa de ocupação de 96% e 446 leitos clínicos, com 85% ocupados.

Nesta quinta-feira (23), mais 13 profissionais da saúde enviados pelo Ministério da Saúde chegaram a Manaus para reforçar o combate ao novo coronavírus no estado. O Governo do Amazonas já havia declarado que a falta de recursos humanos era um dos principais entraves para aumentar a ativação de leitos na rede pública.

Mais de cem acadêmicos da saúde, recém-formados pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), vão reforçar o atendimento médico no hospital municipal de campanha de Manaus. Ao todo, são 75 médicos, 17 enfermeiros e 16 farmacêuticos que tiveram a formatura antecipada para poder atuar no combate à Covid-19. A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) também adiantou a formatura de estudantes da área da saúde.

O Governo do Amazonas informou que recebeu 20 respiradores de alta potência, doados pelo Ministério da Saúde, para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus no estado, na tarde desta quinta-feira (23).

Dez desses equipamentos serão instalados no Hospital de de Retaguarda Nilton Lins, referência no combate à Covid-19, o que vai permitir a ampliação do número de leito da unidade, que hoje tem 43 pacientes internados. Os outros dez respiradores serão enviados para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Serviços de Pronto Atendimento (SPAs).

Medidas extremas por aumento de mortes no AM

Conforme boletim divulgado nesta sexta-feira, o número de mortes por Covid-19 no Amazonas subiu para 255. Desse total, 207 óbitos foram de casos de Manaus e outros 48 são do interior do Estado. O Governo do Amazonas e a Prefeitura de Manaus tiveram que tomar medidas de extremas para atender a alta demanda de mortes.

Na segunda-feira (20), contêineres frigoríficos foram instalados no Cemitério Nossa Senhora Aparecida, no bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus, para comportar a alta demanda de caixões que estão sendo enviados de hospitais públicos da capital, muitos de vítimas do novo coronavírus.

Na última sexta-feira (17), dezenas de covas haviam sido abertas no cemitério para atender o aumento na demanda provocado pelas mortes por Covid-19. Já nesta terça-feira (21), a Prefeitura informou que está fazendo valas comuns, chamadas pelo órgão de trincheiras, para enterrar vítimas do novo coronavírus no cemitério público Nossa Senhora Aparecida.

Famílias acompanham enterro de mortos por Covid-19, em Manaus, da porta do cemitério e lamentam despedida à distância: ‘Desumano’. Isso acontece por conta do decreto 4.801, publicado no Diário Oficial do Município (DOM), que disciplina os velórios e sepultamentos. Ao sepultamento, só está permitida a presença de, no máximo, cinco pessoas. /// Por G1 AM