22 C
Parintins
segunda-feira, maio 17, 2021

Balanço de Gestão da Sejusc destaca trabalho em beneficio das populações vulneráveis

Nesta sexta feira, 27, o balanço apresentado pela Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) no período: Janeiro a Novembro de 2019 mostra a execução de politicas sociais em beneficio de populações em estado de vulnerabilidade como idosos, crianças, mulheres vítimas de violência e pessoas com deficiência. Na oportunidade também indicou os desafios para o próximo ano.

A secretaria da Sejus, Caroline Braz destacou o projeto do Serviço de apoio a idosos, crianças e pessoas com deficiência (Samic) no estado do Amazonas com previsão de seis novas unidades em 2020 nos municípios de Itacoatiara, Maués, Tefé, Coari, Humaitá e Parintins.

Destaque também para a nova Delegacia em defesa dos direitos das crianças  localizada no bairro Morada do Sol, zona centro sul de Manaus.

A secretaria da Sejusc destacou também o trabalho sócio educativo com menores infratores em parceria com entidades privadas e que mostra resultados positivos sendo que o Amazonas apresenta menor taxa de reincidência de internos do sistema socioeducativo do país, com 88% dos internos e direcionados socialmente, graças a práticas pedagógicas e acompanhamento médico e psicológico dos adolescentes uma das menores taxas de reincidência no Brasil (78%).

O trabalho com as comunidades indígenas foi destacado pela emissão de documentos e outros atendimentos a esta população, especialmente no município de São Gabriel da Cachoeira onde foram emitidos 16 mil atendimentos, emissão de documentos, muitos pela primeira vez.

Apoio do Governo Federal

Em gestão realizada em Brasília a secretaria da Sejusc, Caroline Braz conseguiu 10 milhões do Governo Federal para construir uma Casa da Mulher Brasileira em Manaus com 09 pavilhões onde funcionarão varias dependências da rede de proteção a mulher, a obra começa em 2020 e deverá ser entregue em 2022 .

A Casa da Mulher Brasileira é um projeto do Governo Federal, que faz parte do “Programa Mulher, Viver sem Violência” e que funciona como um centro de atendimento humanizado à mulher em situação de violência doméstica. O ambiente é equipado e adequado para a recuperação do bem-estar das vítimas.

Cidadania PAC em Movimento

  • 50 mil atendimentos durante o projeto PAC em Movimento, entre janeiro e novembro, na capital e interior
  • 16.672 indígenas atendidos entre janeiro e novembro, em ações de emissão de documentos
  • 72% das ações no interior e 28% na capital
  • Mais de 20 mil pessoas solicitaram documentos pela 1ª vez no Estado
  • No total, foram mais de 87 ações itinerantes do PAC em Movimento
  • 2.039.186 atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento ao Cidadão
  • Previsão de inauguração de duas novas unidades em 2020: PAC Porto e PAC Zona Leste

Mulheres

  • Retorno do projeto “Promotoras Legais”, com líderes comunitárias que defendem os direitos das mulheres
  • O Serviço de Apoio Emergencial à Mulher (Sapem) realizou 2.760 atendimentos. O Sapem funciona anexo à Delegacia da Mulher, na zona centro-sul, e é a porta de entrada dos atendimentos psicossociais oferecidos pelo Governo do Estado
  • O Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (Cream) oferece atendimento social e psicológico, com encaminhamento para benefícios sociais, como os cursos do Cetam. Em 2019 foram realizados 3043 atendimentos
  • Além dos cursos, as mulheres têm a oportunidade de participar do programa Crédito Solidário. (Mais de 200 mulheres foram encaminhadas da Sejusc para o programa)
  • 168 mulheres capacitadas nos cursos de qualificação profissional no Cream

Direitos Humanos

  • 152 famílias vítimas do incêndio no Educandos em 2018 atendidas com serviços psicológicos, emissão de documentos, cadastramento no Crédito Solidário e serviços sociais
  • Mais de 1.800 idosos atendidos no Centro Integrado de Proteção e Defesa da Pessoa Idosa (Cipidi)
  • Ativação do Conselho LGBT no Amazonas
  • Conselho Estadual do Idoso e Cipidi receberam equipamentos para otimizar o atendimento social

Desafios

“Os desafios são ampliar a oferta de serviços para as pessoas vulneráveis, realizar o cadastro é importante e melhorar os serviços de pronto atendimento dos PACs.  Outros desafios se referem ao trabalho nas escolas da não discriminação de qualquer tipo, a prevenção da violências, sensibilizar a nossa sociedade para a tolerância e o respeito”, salientou a secretaria Caroline Braz. /// Com informações da jornalista Mercedes Guzmán

Especial Publicitário

As maiores koiotagens

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui