O Amazonas teve seu maior salto no número de casos confirmados de coronavírus nesta sexta-feira (1). De acordo com o governo, foram registrados novos 469 casos desde quinta-feira – totalizando 5.723 infectados. O número de mortes também teve seu maior registro de aumento, com 51 novos óbitos em 24 horas – o total agora é de 476.

É o quarto dia consecutivo que o Amazonas tem aumento superior a 400 casos de um dia para o outro. Nesta quinta-feira, foram registrados mais 453 casos, enquanto quarta-feira (29) foram 464 novos diagnósticos. Na terça-feira (28), foram 409 novos registros de coronavírus.

Também no último dia, mais 69 pessoas se recuperaram da doença e estão fora do período de transmissão do vírus. São, até esta sexta-feira, 1.708 recuperados.

Manaus é a cidade que concentra a maior parte dos casos. Já são 3.491 casos confirmados na capital, que tem 357 óbitos pela Covid-19. Manacapuru vem em seguida, com 488 casos.

Internações

Entre os casos confirmados de Covid-19 no Amazonas, 279 pacientes estão internados, sendo 141 em leitos clínicos (51 na rede privada e 90 na rede pública) e 138 em UTI (71 na rede privada e 67 na rede pública).

Há ainda outros 988 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 755 estão em leitos clínicos (262 na rede privada e 493 na rede pública) e 233 estão em UTI (113 na rede privada e 120 na rede pública).

Distribuição por municípios

Dos 5.723 casos confirmados no Amazonas, até esta sexta-feira, 3.491 são de Manaus (61%) e 2.232 do interior do estado (39%).

Além da capital, 50 municípios já têm casos confirmados: Manacapuru (488); Parintins (179); Iranduba (144); Itacoatiara (127); Santo Antônio do Içá (117); Tabatinga (113); Coari (105); Maués (105); Careiro Castanho (98); Rio Preto da Eva (96); Autazes (79); Carauari (67); Presidente Figueiredo (60); São Paulo de Olivença (51); Tefé (50); Anori (37); Benjamin Constant (31); Tonantins (30); Amaturá (25); Tapauá (24); Boca do Acre (21); Lábrea (20); Maraã (16); Careiro da Várzea (15); Manaquiri (14); Urucará (13); Itapiranga (12); Beruri (11); Silves (10); Nova Olinda do Norte (8); e Novo Aripuanã (7).

  • 6 casos: Borba e São Gabriel da Cachoeira
  • 5 casos: Fonte Boa e Manicoré
  • 4 casos: Codajás, Novo Airão, Santa Isabel do Rio Negro e Urucurituba
  • 3 casos: Barcelos, Caapiranga, Jutaí e São Sebastião do Uatumã
  • 2 caso: Canutama e Humaitá
  • 1 caso: Anamã, Atalaia do Norte, Eirunepé, Juruá, Nhamundá.

    Óbitos

    Entre pacientes da capital, até o momento, há o registro de 357 óbitos confirmados para o novo coronavírus.

    Os 25 municípios do interior com óbitos confirmados até o momento são: Manacapuru (29), Parintins (13); Iranduba (10); Itacoatiara (10); Tabatinga (9); Coari (8); Maués (8); Autazes (7); Careiro Castanho (3); Santo Antônio do Içá (2); Rio Preto da Eva (2); Presidente Figueiredo (2); São Paulo de Olivença (2); Tefé (2); Manaquiri (2); Carauari (1); Benjamin Constant (1); Tapauá (1); Urucará (1); Itapiranga (1); Beruri (1); Borba (1); Manicoré (1); Novo Airão (1); e Barcelos (1); totalizando 119 mortes por Covid-19 entre pacientes do interior.

    Outros 58 óbitos estão em investigação e 29 foram descartados para o novo coronavírus.

    Números da Covid-19 podem ser maiores

    A quantidade de mortes em Manaus por síndromes respiratórias e causas indeterminadas registradas durante a pandemia aponta que o número de pessoas que morreu por Covid-19 pode ser sete vezes maior do que o divulgado oficialmente.

    Entre os dias 21 e 28 de abril, o governo divulgou que ocorreram 118 óbitos em decorrência do novo coronavírus em Manaus, sendo que, neste mesmo período, 262 pessoas foram enterradas por causa indeterminada nos cemitérios públicos da capital. /// Por G1 AM