FOTO: Arthur Castro

O Amazonas alcançou a terceira posição no índice dos estados brasileiros que mais realizam testes para o novo coronavírus, de acordo com gráficos feitos a partir de dados cedidos pela Rede de Pesquisa Solidária. Foram coletados números de testes de Covid-19 informados por cada estado, semanalmente. A pesquisa informa que, no mês de junho, o Amazonas atingiu a marca de 3 mil testes por 100 mil habitantes, enquanto a média nacional é de 870 testes realizados a cada 100 mil habitantes.

Atualmente há dois tipos de testes sendo aplicados no Brasil, o RT-PCR (genético) e o teste rápido (sorológico). A pesquisa reforça que não é possível saber, com precisão, o número de testes feitos no país. Segundo o estudo, isso ocorre porque provedores de saúde e laboratórios privados são obrigados a informar apenas o número de testes que tiveram resultado positivo para as secretarias de Saúde, e não a sua totalidade.

O estado do Amazonas ficou atrás apenas do Distrito Federal, que encabeça o ranking com mais de 6 mil testes por 100 mil habitantes; seguido do Amapá, com mais de 4 mil testes para cada 100 mil habitantes.

Percentual de positividade – O Amazonas é o 12º colocado no percentual de positividade dos testes de Covid por estado, que mostra a relação entre os casos confirmados e os testes notificados. Valores de positividade maiores que 100% indicam subnotificação de testes pelos estados. O Amazonas está dentro da relação média entre os casos confirmados e os testes notificados no Brasil, que é de 47,5%

Sobre a pesquisa – A Rede de Pesquisa Solidária foi formada para elevar o padrão, calibrar o foco e aperfeiçoar a qualidade das políticas públicas do Governo Federal, dos governos estaduais e municipais que procuram atuar em meio à crise da Covid-19 para salvar vidas. O objetivo é melhorar o debate e o trabalho de gestores públicos, autoridades, congressistas, imprensa, comunidade acadêmica, empresários e interessados em debater as diretrizes e ações concretas que têm impacto na vida da população.

Mais informações podem ser acessadas no site https://redepesquisasolidaria.org.